Uso do ômega 3 durante a gravidez

Ômega 3. As gestantes não ficam fora desse favorecimento, pois se trata de um dos melhores nutrientes para essa fase. De fato, seus ácidos graxos são excelentes para auxiliar as mamães a terem bebês saudáveis e com um ótimo desenvolvimento, capaz de diminuir bastante a porcentagem de partos prematuros.

Além disso, o ômega 3 é muito indicado durante a gestação e nos primeiros meses de vida por apresentar resultados que elevam o QI dos bebês por ser um elemento fundamental para a formação do sistema nervoso e do cérebro da criança.

Apesar disso, tem excelentes benefícios para a mãe e para o bebê respectivamente: reduz o risco de depressão pós-parto, pois quando é consumido de acordo com sua necessidade produz grandes quantidades de ácidos graxos essenciais para seu organismo e assim diminuem essa incidência porque seu baixo nível de consumo pode elevar esse risco. Já o bebê reduz muito o risco de possuir asma, principalmente para as mulheres que já tem um histórico familiar desse tipo de alergia.

No entanto, o uso de suplementos a base de ômega 3 é recomendado nessa fase apenas quando se é recomendado por um médico ou nutricionista, mas os alimentos ricos de seus nutrientes podem ser ingeridos normalmente, diante do aconselhamento médico, ele indicará quantas cápsulas poderão ser tomadas por dia, qual a melhor formulação, quais mudanças de hábitos devem ser feitas para aumentar a ação desses nutrientes.

Onde encontrar ômega 3

A melhor maneira de se consumir o ômega 3 é através de alimentos, seja ele de origem animal ou vegetal, principalmente na pele dos peixes de água fria, por isso, esta não deve ser retirada, sendo excelentes agentes para melhorar a memória e o bom funcionamento do cérebro. Por fim, segue a lista dos principais alimentos e suas quantidades de ômega 3 capazes de serem transformadores na vida de seus consumidores:

  • Salmão – 100g corresponde á 1,4g desse nutriente;
  • Atum – 100g corresponde á 0,5g desse nutriente;
  • Sardinha – 100g corresponde á 3,3g desse nutriente;
  • Arenque – 100g corresponde á 1,6g desse nutriente;
  • Nozes – 28g correspondem á 2,6g desse nutriente;
  • Sementes de linhaça – 20g correspondem á 1,6g desse nutriente;
  • Sementes de chia – 28g correspondem á 5,06g desse nutriente;
  • Cereais – 3,30g correspondem á 0,2g desse nutriente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *